Swing em Paris: Clubs Libertins

Paris tem alguns dos melhores clubes de swing do mundo, lá chamados de clubs libertins. Funcionam como casas noturnas com benefícios, isto é, boates com ambientes para transar. Esses clubes de swing não tem nada de underground: são lugares super chiques, com serviço e instalações de alto nível.

Todas os quatro clubs libertins que descrevemos a seguir são lugares excepcionais, com decoração linda, atendimento bom, serviços de alta classe e muita gente bonita. Não há como se desapontar, desde que indo no dia e horário certo para as suas fantasias.

Os quatro clubes de swing de Paris
A localização dos quatro clubes de swing, em Paris.

Le Mask

Se há algo que chama a atenção no Le Mask é o atendimento extraordinário. O barman é simpático, educado e extrovertido. É raro encontrar um serviço tão acolhedor.

Chegando para o Réveillon no clube de swing Le Mask
Chegando para o Réveillon 2020 no clube de swing Le Mask

O Le Mask é apenas para casais. Não há dias para homens solteiros.

O maior diferencial do Le Mask é ter público de casais durante à tarde, quando outras casas estão vazias ou cheias de homens solteiros. Sempre que estivemos lá após o almoço havia casais suficientes para encher o espaço, que não é grande.

Réveillon swing em Paris

Passamos o último ano novo lá: a comida estava extraordinária e a festa, apesar do estilo calmo do lugar, foi dentro do que esperávamos. Havia casais bonitos e interação. Nós gostamos, porque gostamos de ambientes mais calmos e de comida boa. Quem prefere algo super agitado, com música de boate e pista de dança, deve buscar outras opções.

A experiência do Réveillon no Le Mask é completamente diferente da experiência no Fun4Two, onde passamos o ano novo de 2019. As duas foram ótimas, mas são festas com pegadas completamente distintas.

A casa tem uma dungeon, pequena mas bonitinha. Não é, entretanto, para quem encara o BDSM de forma mais séria.

As instalações do Le Mask

O clube de swing Le Mask oferece alguns equipamentos
O clube Le Mask oferece alguns equipamentos

A organização do ambiente é ideal para quem gosta de ver e ser visto, mas ao mesmo tempo ficar despreocupadamente com seu cônjuge. A posição dos sofás permite que os casais vejam uns aos outros, mas sem dividirem por obrigação o mesmo espaço. A gente acha essa disposição dos sofás um acerto da casa.

O Le Mask não tem uma pista de dança, o que torna a casa bem silenciosa que as demais. É um bar fino, aconchegante, com ambientes chiques para sexo. Não é um lugar para ir “só dançar” e quase não há curiosos por lá. Mas a ação se desenrola sem grandes surubas, em um clima mais light do que em casas como o Les Chandelles.

A proposta original do Le Mask é que todos usassem máscaras, mas a verdade é que ninguém usa. Nem se preocupe em levar uma. Em último caso, eles te cederão uma. Mas você não precisará.

O clube Le Mask permite que você entre com seus objetos pessoais (bolsa, carteira, celular, etc), deixando apenas o casaco no guarda-volumes. Gostamos assim, não somos fãs de deixar tudo guardado na entrada.

Swing em Paris de tarde

De dia, é a melhor opção para casais que não estão na busca de um gang bang. O clube abre todas as tardes exceto domingos, de 14:00 às 19:30, ao preço de 63 euros por casal, incluindo dois drinks alcóolicos e soft drinks à vontade. Os outros clubes de swing de Paris, durante as tardes, ou estão vazios ou cheios de homens solteiros. Nesse horário, as melhores opções são o Le Mask ou as saunas.

Swing no Le Mask à noite

Nas noites, os preços variam de 35 euros nas segundas e terças a 78 euros nas sextas e sábados. O horário de abertura também varia, e nas terças, quartas e quintas o Le Mask emenda a tarde com a noite, ficando aberto sem intervalo. Nos dias em que há intervalo, é bom chegar perto da abertura, já que os casais se programam para ir embora de tardinha.

La Marquise

O La Marquise é um clube miúdo e relativamente recente, inaugurado há menos de um ano. Durante as tardes e na maioria das noites é de entrada mista. Ainda não há público suficiente para deixar as tardes animadas, como no Le Mask.

Chegando no clube de swing La Marquise

O lugar é de ótimo potencial: muito bem localizado, com decoração super bacana e intimista. O preço da entrada é muito convidativo: 30 euros para o casal, com dois drinks alcóolicos incluídos, de segunda a sexta das 15:00 às 20:00. No entanto, no dia em que fomos, estava bem vazio à tarde. Quando chegamos, ficamos sozinhos por um bom tempo e aproveitamos para fazer essas fotos.

O clube de swing La Marquise tem espaços confortáveis perto do bar
O clube de swing La Marquise tem espaços confortáveis e luxuosos

Há uma pista de dança com sofás ao redor.

O clube de swing La Marquise oferece uma pista de dança
O clube de swing La Marquise oferece uma pista de dança, assim como o Les Chandelles e o Taken-club.

Na parte de baixo, descendo as escadas, há uma dungeon com camas, à luz de velas.

Há grandes camas na dungeon do La Marquise
Há grandes camas na dungeon do La Marquise
A dungeon do La Marquise é uma das mais bonitas em casas de swing de Paris.
A dungeon do La Marquise é uma das mais bonitas em casas de swing de Paris

O clube La Marquise também permite que você entre com suas coisas, deixando apenas o casaco no guarda-volumes.

Noite para casais no La Marquise

A gente imagina que o clima nas noites seja bem legal: as avaliações na internet são excelentes, o atendimento foi muito bom e o ambiente adoramos. Pretendemos ir em um sábado de noite, o único dia reservado só para casais. Abre 22:00 e a entrada custa 80 euros com dois drinks (ou 40 euros, para casais abaixo dos 30 anos).

Taken-Club

O Taken-Club abre apenas à noite e o que ouvimos falar de parisienses é que só vale a pena aos sábados. Fomos em um sábado para conferir, e achamos o clube sensacional.

Muita gente bonita e animada, bar extraordinário, pista de dança fervendo e um labirinto chique com bastante ação: perto de uma da manhã havia gente transando em abundância. Tudo lindo e impecavelmente limpo.

Todos os ambientes são públicos, ou seja, não é possível se trancar em um quartinho para um swing privado. Por um lado, isso limita um pouco as possibilidades. Por outro, deixa a casa mais animada. Curiosamente, é assim nos quatro clubes de swing de Paris deste post, diferente do Le Boudoir, em Londres.

O clube de swing Taken-Club fica na Île Saint-Louis
O clube de swing Taken-Club fica na Île Saint-Louis

O club libertin Taken-club pede que você deixe todas as suas coisas no guarda-volumes, antes de entrar no clube. A gente não gosta muito, nos sentimos um pouco incomodados de ficar longe da bolsa, carteira e celular.

Les Chandelles, o mais conhecido swing de Paris

O Les Chandelles se propõe a ser o club libertin mais chique de Paris, e, em alguns aspectos, é. Certamente é o mais exigente na porta e, para o bem ou para o mal, recusa a entrada de quem não está impecavelmente vestido. Não sabemos dizer se há outros critérios, mas o público da casa nos pareceu etnicamente variado, então imaginamos que – felizmente – não há.

A discreta fachada do clube de swing Les Chandelles
A fachada do clube de swing Les Chandelles: a mais discreta de todos que visitamos em Paris.

O Les Chandelles é conhecido por receber pessoas famosas. Reza a lenda que o ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn gostava de frequentar. Se é verdade, não sabemos, mas saiu na Vanity Fair.

Chegada no clube liberal Les Chandelles em Paris.
Sra. F chegando no Les Chandelles.

Já escrevemos um longo post sobre nossa experiência no Les Chandelles. Para saber mais sobre a casa, dê uma lida.

O Les Chandelles também pede que você deixe todas as suas coisas no guarda-volumes, antes de entrar no club libertin. Sempre ficamos um pouco tensos com isso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.